Voz da Escola
Jornal da Escola Secundária Henrique Medina
Pesquisa

Encontro com o escritor Nuno Camarneiro
Por Fernando Santos (Aluno, 10ºB), em 2017/01/04112 leram | 0 comentários | 30 gostam
No passado dia 24 de novembro de 2016,o escritor Nuno Camarneiro compareceu na Escola Secundária Henrique Medina, para dar a conhecer aos alunos do 10º ano a sua vida e obra.
Primeiro, houve um momento musical interpretado por algumas alunas que integravam o Ensino Articulado, e, de seguida, foi apresentada uma pequena descrição da vida e obra do autor.
Após estes dois breves momentos, o escritor falou, de uma forma mais detalhada, do decorrer da sua vida, sobre aspetos como a sua infância, o que o levou a tornar-se escritor, o tempo em que trabalhou no CERN, os seus livros, os lugares por onde já passou e o que planeia fazer no futuro.
Por fim, os alunos e professores presentes colocaram algumas questões pertinentes ao autor, seguindo-se uma sessão de autógrafos.
Apesar de ser uma pessoa ligada às ciências, Nuno Camarneiro começou a escrever devido à influência de sua mãe, que era professora e lhe incutiu esse gosto desde muito cedo, e à cidade onde cresceu, a Figueira da Foz, na qual, durante quase todo o ano, não havia nada para fazer, o que o levou a ter de “inventar” um passatempo, que foi a escrita.
Enquanto falava dos seus livros, disse aos presentes que a inspiração vem das suas vivências pessoais e que todas as personagens dos seus livros têm algum traço de personalidade parecido com o seu, seja a escrita, as ciências, os seus lados introvertido e extrovertido, e, por vezes, o seu estado de espírito no momento em que está a escrever. Deu também a conhecer que todos os seus livros são importantes para si da mesma maneira: o primeiro, pois foi o que lhe “abriu as portas do mundo literário”; o segundo, porque foi o que lhe deu o Prémio Leya; o de contos, uma vez que era um sonho seu; e o infantil, já que adora falar com crianças.
O autor considera o blog uma forma tão importante de divulgar a sua obra como as outras, embora este tenha andado a “morrer à fome” ultimamente.
Descreveu o tempo decorrido no CERN como uma experiência fenomenal, na qual pôde trabalhar e, também, conviver com alguns dos maiores génios da Física e da Química a nível mundial, dizendo ainda que à hora do almoço, poderia conviver com um “Prémio Nobel” como se estivesse a conviver com outra pessoa qualquer.
Por fim, a pedido de uma professora presente, teceu um pequeno comentário à entrega do Prémio Nobel a Bob Dylan, dizendo que percebe o porquê desta entrega, mas referindo que este já recebeu inúmeras distinções e que não irá dar tanto valor ao prémio como os outros escritores nomeados, que, na sua opinião, mereciam mais o prémio do que Bob Dylan. Afirmou, também, que se tivesse de entregar o prémio a um músico, entregá-lo-ia a Leonard Cohen (que havia falecido dia 7 de novembro), que, antes de ser cantor, era escritor.


Comentários

Escreva o seu Comentário