Voz da Escola
Jornal da Escola Secundária Henrique Medina
Pesquisa

O contributo da “Música Clássica”
Por Adriana Cruz (Aluna, 11ºD), em 2016/01/15394 leram | 0 comentários | 138 gostam
Nas últimas décadas, a música tem evoluído significativamente. Devemos sublinhar que a música tem um passado repleto de história de clássicos inesquecíveis.
A música erudita divide-se em vários períodos, sendo eles a Idade Média, o Renascimento, o Barroco, a “Música Clássica” e o Romantismo, mas aqui irei tratar somente da “Música Clássica”.
Este período é posterior à “Música Barroca” e nasceu em 1750, tendo durado aproximadamente até 1810. Foi aqui que grandes compositores como Wolfgang Amadeus Mozart, Ludwig Van Beethoven, Joseph Haydn, entre outros, viveram e deixaram os seus legados para a história da música.
A “música clássica” foi profundamente influenciada pelos ideais humanistas que colocavam o homem como centro do universo. Este estilo de música, além de ter como objetivo principal transmitir-nos a ideia do mundo real, que os compositores moldavam de acordo com o que se considerava ideal para a época, também refletiam acerca de princípios como: a harmonia, ordem, lógica, equilíbrio, simetria, objetividade e refinamento, sendo a razão mais importante que a emoção.
Na época, os compositores começaram a elaborar formas musicais mais desenvolvidas, como: a “Sonata” que vem do verbo sonare (soar), sendo uma obra com diversos movimentos para um ou dois instrumentos, acabando por ser a principal forma musical do período; a “Sinfonia” que significa “soar em conjunto”, sendo uma espécie de sonata para orquestra dividida em movimentos e, por último, os “Concertos”, que são outra forma de composição, que apresentam uma espécie de luta entre o solo instrumental e a orquestra. Os músicos que aperfeiçoaram e enriqueceram a sinfonia clássica foram Haydn e Mozart.
Ao ouvirmos este estilo de música, apercebemo-nos da sua leveza e elegância, sendo também mais refinada e menos complicada que a barroca. O principal era dar relevo à beleza e à graciosidade das melodias.
Simultaneamente, surgiram mais instrumentos de sopro, como por exemplo, o clarinete, tendo o piano começado a ser mais usado. As dinâmicas (crescendo, decrescendo, forte e piano) passaram a ser mais utilizadas, ajudando a dar outro caráter à sonoridade da música. Durante o período clássico, a música instrumental passou a ter uma maior importância que a vocal.
Este estilo de música é uma das bases de todos os géneros musicais produzidos até hoje.


Comentários

Escreva o seu Comentário