Trash League
Jornal da Escola C.e. Sesi 344 de Ribeirão Preto
Pesquisa

CÃES Yorkshires Micro
Por Caio Nogales (Aluno, 7º ano), em 2016/10/09170 leram | 0 comentários | 43 gostam

Yorkshires Micro: Os Cães são Minis, o Problema é Enorme
Criadores que estudam seus cães geneticamente encontram em casais a compatibilidade genética, ou seja, tanto o macho como a fêmea possuem carga genética que, ao cruzarem, somam de forma positiva todas as características corretas aos padrões da FCI (beleza, textura de pelagem, coloração, marcação de pelagem, doenças provenientes da raça nula, dentição…).

Em primeiro lugar, é importante entender que há tamanhos padrões da raça aceites pelo FCI (Federação Cinológica Internacional). O tamanho máximo padrão é de 3,10 quilos, não há nomenclatura para cães acima ou abaixo desse peso.
Vale a pena referir que há cães com porte muscular mais avantajado e isso os leva a ter ter um peso maior, já que a musculatura é integrada por água e por isso pesa mais. Os yorkshires têm que ser compactos, em proporção de altura de cernelha com comprimento.
 Óbvio que isso não quer dizer que seu york tenha 10 quilos e seja compacto, pois isso é totalmente inaceitável. Tem de valer o bom senso, pois os yorkshires são cães de porte pequeno.
No mercado cinófilo, são muito procurados os cães de porte pequeno menores do padrão.
 Até aí não haveria problemas, pois sempre há os menorzinhos e os maiorzinhos. O grande agravante é que, com o decorrer do tempo, devido à excessiva procura pelos yorks mais pequenininhos, uma massa paralela ao tamanho da raça apareceu: os tais yorkshires micro.
 Comecei a pesquisar e conversar com vários veterinários e entendedores da raça e o que descobri foi muito triste: os criadores, em busca miniaturizar os cães, além de os cruzarem consanguineamente sem estudar (lembrando que há cruzamentos consanguíneos chamados inbreeding para uma confirmação da genética de perfeição, porem isso será assunto outro artigo), estão cruzando fêmeas e “forçando” o parto prematuro com cesária, para os fetos não terem total desenvolvimento.

Dizer não aos cães minis:

Cada um com suas peculiaridades, mas todos com tristeza e arrependimento de ter sido conivente, mesmo que sem querer, com tais métodos atípicos de criação.
Por isso convido aos leitores que tenham, tiveram ou conheceram alguém que teve um cão micro, que compartilhe a experiência ou esse artigo aqui. Quanto mais pessoas conhecem o processo de miniaturização, menos procura pelos micros teremos com certeza.


Comentários

Escreva o seu Comentário