Trash League
Jornal da Escola C.e. Sesi 344 de Ribeirão Preto
Pesquisa

Treinamento de um cão farejador
Por Thiago Campos (Aluno, 1° Ano E.M./2016), em 2016/09/18209 leram | 0 comentários | 72 gostam
Conheça, neste artigo, algumas das raças de maior eficiência como cães farejadores, e saiba como funcionam as células olfativas desses animais tão úteis para o trabalho investigativo da polícia.
Como funciona o olfato do cão farejador

Enquanto os seres humanos contam com cerca de 5 milhões de células olfativas em seu corpo, os cães possuem uma média de 200 milhões destas células em sua estrutura, sendo que em alguns casos – como no do Pastor Alemão - esse número pode atingir até 220 milhões. Nos animais de focinho mais curto, essa sensibilidade é consideravelmente menor, e um cão da raça Basset, por exemplo, destaca cerca de 120 milhões de células olfativas na sua estrutura corporal – e isso explica a preferência dada a outras raças no quesito “farejador”.

Podendo identificar cheiros em concentrações até 100 milhões de vezes menores que as detectadas pelas pessoas, os cachorros conseguem perceber uma gota de sangue diluída em até 5 litros de água, facilitando muito a identificação de itens suspeitos em quaisquer tipos de investigação.

As principais raças de cão farejador

Embora algumas raças de porte pequeno e médio também tenham uma sensibilidade olfativa extremamente desenvolvida – como Beagle, Setter e Pointer – são as de porte grande as mais populares e eficientes como farejadoras. Labrador, Pastor Alemão, Golden Retriever, Pastor Belga e Rottweiler são algumas das raças mais utilizadas pela polícia em investigações criminais, destacando características valiosas que vão além da grande sensibilidade olfativa canina.

O treinamento dos cães farejadores

Trabalhando com técnicas que estimulam o olfato do cão, os treinadores costumam fazer com que o animal procure por sua comida, jogando-a no chão de forma espalhada para que o filhote possa descobrir seu alimento por meio de odores.
O treinamento dos cães farejadores evolui de acordo com a idade do animal e, por isso, é somente após cerca de um ano de vida que começam os adestramentos relacionados à obediência do cachorro – preparando-o para receber e atender prontamente aos comandos de seu dono. Por volta dessa mesma época os treinamentos com brinquedos começam a ser introduzidos na vida dos cães, propondo uma relação de ação e recompensa para que o animal aprenda a identificar e buscar por odores específicos.


Comentários

Escreva o seu Comentário