Sabro
Jornal do Agrupamento de Escolas de Sabrosa
Pesquisa

POR ONDE ANDAM OS NOSSOS EX-ALUNOS...
Por Ilda Figueira (Professora), em 2015/12/041421 leram | 0 comentários | 55 gostam
Fabrice Alvarez, ex aluno da nossa escola, concluiu o secundário em 2012. É cozinheiro, formado pela Escola de Hotelaria e Turismo do Douro e Lamego.
Em 2012, conclui o secundário, na Escola E.B. 2,3/S Miguel Torga.
 Já antes tinha vontade de ser Chef de cozinha e conseguir formar-me na Escola de hotelaria de Lamego. Antes, preferi aumentar os meus conhecimentos e concluir o secundário. Embora tivesse concluído o secundário em 2012, só em 2013 é que pude candidatar-me à Escola de Hotelaria de Lamego, pois tive que concluir todas as específicas do secundário.
Durante um ano e meio, vivi em Lamego, finalmente tinha entrado no mundo que tanto desejei, o stress agradável de criar e esculpir pratos com um só objetivo: de satisfazer e impressionar o cliente e daí, se possível, criar uma experiência inesquecível. Passei a ter um novo lema, "fazer coisas simples, mas extraordinariamente bem". Desde a pastelaria à padaria, desde a cozinha tradicional à molecular, do nacional ao internacional, dos tachos às frigideiras, das queimaduras aos cortes, tudo numa atmosfera de criação, amor, paixão, dedicação! Não tenho lápis nem pincéis, mas considero-me um artista! E sem desvalorizar os meus colegas ou qualquer outra profissão, nós, os cozinheiros, temos que pensar como cientistas, organizarmo-nos como gestores, inspirar-nos e motivarmo-nos como guerreiros, sermos tão rápidos como os atletas, empratar como um artista, e cozinhar como a nossa avó. Durante o curso, estagiei um mês em Itália, no restaurante Madonnina del Piscatore, restaurante de duas estrelas michelin. Foi das melhores experiências que já vivi, desde trabalhar virado para o mar Adriático, trabalhar com produtos de excelência e extrema frescura, trabalhar num mundo onde o ponteiro da exigência ultrapassa o perfeito. Os outros dois meses, passei-os na Quinta do Portal, onde pude reforçar a nossas receitas tradicionais, com o nectar dos deuses, chamado de vinho tratado ou mais propriamente vinho do Porto, e outros bons vinhos. Foram três meses muito enriquecedores e evolutivos. Apercebi-me o quanto infinito é este mundo que escolhi e quanta aventura pode haver.
 Em janeiro, conclui o curso de gestão e produção de cozinha. Após algumas tentativas em vão em busca do trabalho que reunisse as condições favoráveis, decidi mudar-me para o meu país natal, a Suíça. Aqui estou trabalhar como ajudante de cozinha num restaurante de um centro de desporto,Centre Tennis de Bulle. Para além de financeiramente reunir melhores condições, as experiências vividas cada dia ajuda-me a ser um melhor profissional para, um dia, poder abrir o meu restaurante e ser chef.
 E sim, "tudo vale a pena se a alma não é pequena".
 E fica já o convite para um dia que tenha o meu restaurante: virem visitar-me e provar o que faço.


Fabrice Alvarez


Comentários

Escreva o seu Comentário