plantão filosófico
Jornal de Filosofia
Pesquisa

Aborto
Por Edemilson Leão de Lima (Leitor do Jornal), em 2019/08/0738 leram | 0 comentários | 8 gostam
O aborto envolve questões morais, éticas, religiosas e outras que tornam o assunto muito complexo e polêmico.
Elaborado por: Karine Da Silva
Aborto é a interrupção na gravidez, resultante da remoção de um feto ou embrião antes de este ter a capacidade de sobreviver fora do útero.
   Inicialmente os abortos induzidos por medicamentos foram feitos apenas para gestação no ínício do primeiro trimestre, agora está aprovado que o aborto medicinal é eficaz durante todo o primeiro trimestre.
   No Brasil o aborto é considerado crime, a legislação permite que o aborto seja realizado apenas em casos de estupro, em caso de riscos á vida da mãe ou anencefalia.
   O aborto envolve questões morais, éticas, religiosas e outras que tornam o assunto muito complexo e polêmico. É muito importante saber dos riscos que o aborto pode trazer para a saúde da mulher e consequências pro resto da vida.
   Segundo os dados da ONU, em 2013 cerca de 3,2 milhões de abortos inseguros ocorreram com adolescentes entre 15 e 19 anos nos países mais pobres.
   Há estudos que comprovam que o feto pode sentir dor,e consideram que deveria ser totalmente proibido, principalmente nos estágios mais avançados da gravidez.
   A conceituação do que é uma pessoa foi dada pelo filósofo John Locke ele define pessoa como " um ser inteligente que possui razão e capacidade de reflexão".Fetos não possuem autoconsciência, muito menos capacidade de reflexão ou memória. Por tanto,não atendem a essas características definidoras de um indivíduo.
   Uma forma de resolver isso é apelar para a doutrina de Aristóteles da potência e ato. Existe um ser em ato e um ser em potência. Potência é a capacidade para realizar algo,enquanto ato é a realização concreta dessa potencialidade.


Comentários

Escreva o seu Comentário