plantão filosófico
Jornal de Filosofia
Pesquisa

Estoicismo
Por Solaine Krug (Leitora do Jornal), em 2016/07/04476 leram | 0 comentários | 40 gostam
A verdadeira felicidade,deveria depender apenas de suas "virtudes", abdicando totalmente o "vício', que é considerado para os estoicos um mal absoluto.
Estoicismo é um movimento filosófico que surgiu na Grécia Antiga, criado por Zenão de Cítio (c.334-c.262 a.c).
  Um verdadeiro sábio, segundo o estoicismo, não deveria sofrer de emoções externas, pois estas influenciaram em suas decisões e raciocínios.
  A verdadeira felicidade, deveria depender apenas de suas "virtudes', abdicando totalmente o "vício", que é considerado para os estoicos um mal absoluto.
  Para a filosofia estoica a paixão é considerada sempre má, e as emoções um vício da alma seja o ódio, o amor ou a piedade. Os sentimentos externos tornariam o homem um ser irracional e não imparcial.
  Preza fidelidade ao conhecimento, desprezando todos os tipos de sentimentos externos. Defendia que todo universo seria governado por uma lei natural divina e racional.
  Para o estoicismo o homem é guiado pela razão, "o mundo que a razão apresenta ao homem é a natureza e não existe nada superior a ela". Uma vez que a natureza é governada pela razão divina, tudo tem um motivo para ser e nós não podemos mudar isso, nossa atitude diante das adversidades e da própria morte deve ser de serena resignação, o ideal do estoicismo é atingir a ataraxia ou apatia, a indiferença em relação a todos os sentimentos e emoções, o que se alcança pela prática da virtude.
  Os estoicos suportavam as adversidades com calma e dignidade.
  Para nós os bens materiais não são tudo, mas não desprezamos a ideia de que precisamos de uma boa quantia para termos uma vida, dependendo do ponto de vista, propriamente dita "boa". E acreditamos também que os sentimentos são essenciais.

ARTIGO ELABORADO POR: SOLAINE KRUG, BRUNA CRISTINA E MARCELO RIBEIRO


Comentários

Escreva o seu Comentário