Panorama
Jornal da Escola Secundária de Rocha Peixoto
Pesquisa

Increasing attractiveness of VET
Por Noel Miranda (Professor), em 2013/11/24367 leram | 0 comentários | 104 gostam
Entre os dias 9 e 16 do presente mês de Novembro o Prof. Noel Miranda, subdiretor da Escola Secundária de Rocha Peixoto, participou numa visita de estudo na Bulgária realizada no âmbito do Programa Transversal.
“Successful practice in VET and preparation of young people for the labour market”

Entre os dias 9 e 16 do presente mês de Novembro o Prof. Noel Miranda, subdiretor da Escola Secundária de Rocha Peixoto, participou numa visita de estudo realizada no âmbito do Programa Transversal, integrado no Programa Aprendizagem ao Longo da Vida da União Europeia. O tema da visita realizada em Sliven, na Bulgária, foi “Successful practice in VET and preparation of young people for the labour market”.
A visita foi organizada pelo Centro Regional de Inspeção Educativa de Sliven e compreendeu apresentações de todos os participantes e visitas ao Centro Regional de Inspeção Educativa, diversas escolas, empresas, autarquias e Centro de Orientação Vocacional. Os participantes também tiveram reuniões todos os dias para trocar impressões sobre a forma como o ensino profissional está implementado em cada país, quais as soluções utilizadas para ultrapassar problemas concretos e elaborar um relatório a enviar ao Cedefop (Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional) no final da visita.
A visita foi bastante importante e interessante por dois motivos completamente diferentes.
Em primeiro lugar, falando da Bulgária e da população búlgara, ficou claro e confirmado desde logo que não existe uma Europa mas várias. Os princípios europeus sobre desenvolvimento, cultura, educação, igualdade, etc., perseguidos pelos diferentes povos como uma miragem, são constantemente atacados pelas “novas tribos do deserto” (a Europa do dinheiro, das “holdings e das companhias financeiras), controladas por 2 ou 3 países, que exploram todos os outros de diferentes maneiras, à custa de uma dependência controlada. É possível perceber “in loco”, por exemplo, porque é que as empresas de lanifícios têm problemas e encerram em Portugal e Itália, entre outros, onde sempre foram fortes. Empresas europeias estão a abrir e investir na Bulgária, porque pagam aos trabalhadores 300 Euros por mês. Sendo assim, não contribuem para o enriquecimento e desenvolvimento da sociedade búlgara e quando puderem pagar menos noutro lado deixarão as ruínas como marca. Esta é a imagem da “verdadeira Europa solidária”. O sistema educativo búlgaro tem ainda um caminho considerável a fazer e falando com as direções das escolas, os professores e técnicos percebe-se que está tudo bloqueado, precisando que a nível nacional alguém tenha ideias mais arejadas e tome a iniciativa de mudar tudo o que tem de ser mudado. No entanto, é de destacar a gentileza com que todos os participantes estrangeiros foram recebidos e acompanhados durante toda a visita.
Em segundo lugar, falando do grupo de trabalho, pode-se dizer que foi excelente. No grupo havia um diretor de uma escola vocacional inglesa que trabalha, qualifica e coloca no mercado de trabalho alunos com necessidades educativas especiais, uma técnica do Departamento de Educação do governo britânico, um diretor de uma escola profissional sueca, um coordenador de cursos profissionais de um Centro de Formação de Valência (Espanha), um coordenador de cursos profissionais de uma escola profissional holandesa, uma conselheira e orientadora vocacional da Eslováquia e um coordenador de cursos profissionais numa escola turca. Os participantes tiveram discussões muito interessantes, aumentando os seus conhecimentos sobre como funcionam as coisas nos diferentes países. No final, o grupo de trabalho decidiu avançar para um projeto europeu sobre a importância da orientação vocacional e profissional e o aconselhamento dos jovens e a sua centralidade nas escolas profissionais, envolvendo não só os alunos e as famílias, mas também os professores, a comunidade local e a rede de empresas que trabalha a nível local e regional.

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário
 



publicidade