Panorama
Jornal da Escola Secundária de Rocha Peixoto
Pesquisa

Comemorações de Abril
Por Albina Maia (Professora), em 2017/04/29261 leram | 0 comentários | 59 gostam
Integrado nas comemorações do 43º aniversário da Revolução do 25 de abril, decorreu no auditório da Escola Secundária de Rocha Peixoto uma conferência, para os alunos de História do 12º ano, subordinada ao tema “A guerra colonial e o 25 de abril”.
O grupo de história conjuntamente com a biblioteca da escola promoveu um conjunto de actividades para comemorar a revolução dos cravos.
A conferência,cujo moderador foi o professor José Paulino Castanheira, contou com a presença de combatentes da guerra colonial e militares que participaram na revolução, nomeadamente o diretor do Museu da Guerra Colonial em Vila Nova de Famalicão, o dr José Lage, o cabo, sr.Manuel Ferreira, que combateu e foi ferido em Angola, o srcoronel João Gonçalves que combateu e foi ferido em Moçambique e o sr.coronel Bacelar Ferreira que participou no Golpe Militar, aqui na Póvoa de Varzim.
O drJosé Lage começou por explicar a importância dos testemunhos orais e da recolha de fontes materiais para a reconstrução da história da guerra colonial.
Seguidamente ouviram-se os relatos dos acontecimentos vividos na primeira pessoa pelos ex combatentes, fazendo o enquadramento histórico da vida durante o Estado Novo em Portugal e como militares enviados para a guerra colonial, expondo de forma emotiva as suas deficiências e os traumas que persistem nas suas memórias.
Como referiu o professor José Paulino Castanheira estes e outros heróis tiveram um sonho e lutaram por realizá-lo: implantar em Portugal os três D (Descolonizar, Democratizar e Desenvolver). Quanto à descolonização, já não havia nada a fazer, bem ou mal feita, foi a possível na época e nenhum outro país colonizador fez melhor que Portugal. Relativamente à democratização a verdade inquestionável é que ela foi conseguida, não sem alguns percalços e entraves, nos anos de 74 e 75, pois os Capitães de Abril cumpriram o prometido e, no momento certo, retiraram-se para os quarteis e extinguiram, de livre vontade, a vigilância tutelar do Conselho da Revolução.
Se muitos dos recentes e atuais políticos trataram e tratam mal a democracia, esta anormalidade não é da responsabilidade dos Capitães de Abril. A democracia em Portugal foi-te legada, jovem estudante, por militares e políticos corajosos. Preserva-a, luta pela sua manutenção e fortalecimento. Não te ausentes dos teus deveres cívicos e não te esqueças que o direito de voto consciente é um desses deveres que não podes desprezar. O desenvolvimento de Portugal não está terminado, este Portugal teve e tem, como qualquer outro país, tempos de fartura e tempos de penúria. Muitos portugueses com dedicação, estudo, trabalho e interesse pela causa do bem comum e do progresso ajudaram a transformar, para muito melhor, o país.
E tu? Que contributo positivo queres dar a Portugal? Há quarenta anos atrás a percentagem de jovens sem direito à frequência ao ensino secundário, sem direito aos transportes escolares, sem direito a professores justos, compreensivos e humanos era de mais ou menos 80%. A Revolução do 25 de Abril de 74 mudou radicalmente esta realidade, ofereceu-te novas e boas oportunidades. Por tal, não desperdices esta oferta magnífica. Esforça-te no estudo, concentra-te na sala de aula, faz felizes os teus professores.
Se estas forem as tuas escolhas estás a cumprir um Sonho de Abril.
 O grupo de História

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário
 



publicidade