Nona Notícia
Jornal da Escola de Sardoal - 9º Ano
Pesquisa

Violência Doméstica
Por Margarida Nunes (Aluna, 9ºA), em 2017/05/31401 leram | 0 comentários | 141 gostam
Poema sobre a Violência Doméstica
SEM SOLUÇÃO
Ouço tantos insultos
Palavras grosseiras
Geram tantos tumultos
Essas tuas asneiras

Estalos, murros e pontapés
É o que tenho vivido
Dizem bem o que tu és
Mostram o que eu tenho sofrido

Penso que esta situação
De sofrimento infernal
Já não tem solução
Quero pôr um ponto final!

Estou farto das tuas atitudes
Já mal consigo aguentar
Ainda estou à espera
Que tu um dia venhas a mudar

Nunca percebeste nem perceberás
O que eu um dia sofri
E por causa das tuas brincadeiras
Choro todos os dias por ti

São tantas as vezes que me vejo a pensar
Se tudo podia ter sido diferente
Bastava um outro gesto
Para melhorar a nossa vida para sempre
















ESPERANÇA
Continuo a acreditar
Nunca deixei de sonhar
Que tudo isto vai acabar
A rotina vai mudar

Ainda não perdi a esperança
Vivo com confiança
Quero receber como herança
A tua grande mudança

Após a tua cura
Em vez de amargura
Irei receber ternura
Teremos um sopro de frescura








SENTIDO?
A tua mão me magoa
Mas, o meu coração te perdoa

Acredito nas palavras repetidas
Mas, será que sentidas?

Esta minha sorte
Ainda me leva à morte

A tua mão pesada
Magoa a minha cara lavada

O teu forte pontapé
Acaba com a minha fé

Sempre que me espancas
Tento não sentir
Fico com as marcas
Será que devo fugir?

Poema dos autores:
- Nº11
- Nº17
   9ºA


Comentários

Escreva o seu Comentário
 




Top Artigos: Amor de Mãe