Jornal da D.F.
Jornal da E.m.e.f. Dezidério Fuzer
Pesquisa

O sistema de Numeração Maia
Por Cristina Machado Severo (Professor), em 2019/04/2527 leram | 0 comentários | 3 gostam
A mais antiga das civilizações pré-colombianas habitava florestas tropicais
A CIVILIZAÇÃO MAIA
Esta foi, provavelmente, a mais antiga das civilizações pré-colombianas, porém, perdeu em desenvolvimento, se comparado aos Incas e aos Astecas. Habitavam nas florestas tropicais, atualmente localizadas nas regiões da Guatemala, Honduras e Península de Yucatán (México).
Organizavam-se em cidades e estados, que tomavam decisões políticas e religiosas. Como não era um império unificado, não constituíam força suficiente para evitar as invasões dos povos vizinhos.
As cidades eram governadas por um estado teocrático, as guerras que aconteciam tinham o objetivo de capturar prisioneiros para serem sacrificados aos deuses. A religião era politeísta. Acreditavam em deuses ligados à natureza que regiam o destino dos homens. Por causa disso, eram realizados sacrifícios de alimentos, animais e seres humanos aos deuses.
A sociedade dividia-se em três grupos principais. A zona urbana era habitada apenas pelos componentes da classe mais alta: nobres da família real, Sacerdotes e chefes militares. A segunda classe era composta por dirigentes de cerimônias e cobradores de impostos. A base da pirâmide era formada pelos camponeses, artesãos e trabalhadores urbanos, os quais não possuíam privilégios e eram obrigados a pagar impostos, esta era a terceira classe.
Possuíam avançadas técnicas de irrigação, de modo que sua economia era baseada na agricultura, principalmente, no cultivo do milho e do feijão.
Comercializavam as mercadorias produzidas com povos vizinhos. Para melhorar as condições de cultivo a favorecer a produção, o povo Maia desenvolveu algumas técnicas agrícolas, como a irrigação dos pântanos, os terraços, etc.
Cultivavam, também, o algodão, o tomate, o cacau, a batata e algumas frutas. Além disso, tinham criação de peru e abelhas. Atividades como caça e pesca complementavam as atividades realizadas para a sobrevivência do povo. Eram praticadas queimadas em busca de limpar o terreno, deixando-o pronto para o plantio. Essa prática, porém, destruía os componentes naturais do solo, fazendo-o se tornar infértil após três anos de uso. A consequência disso é que o agricultor era obrigado a deixar o terreno e sair em busca de outro, fazendo com que aquele solo ficasse sem utilidade.
Podemos destacar o artesanato, com a confecção de tecidos e a utilização das tintas em roupas e a arquitetura, com a construção de grandes palácios, templos e pirâmides. Trabalhavam uma cerâmica variada e de ótima qualidade na arquitetura.


NUMERAÇÃO MAIA - O sistema de Numeração Maia, adotado pela civilização pré-colombiana, é um sistema de numeração vigesimal, ou seja, tem base vinte.
Os numerais são representados por símbolos compostos por pontos e barras, sendo o zero a única exceção por ser representado pelo desenho de uma concha. O símbolo “.” Era usado até quatro vezes e o símbolo “-“ era usado três vezes.
Números superiores a dezenove são escritos na vertical, seguindo potências de vinte em notação posicional. Por exemplo, o número trinta e dois é escrito como um ponto, seguindo logo abaixo por dois pontos horizontais sobre duas barras, representando uma vintena e treze unidades.
O sistema de contagem vigesimal também influencia o calendário Maia, sendo o fechamento de um período de vinte anos, um momento parecido com o fechamento de uma década para nós. Alguns calendários usavam um sistema modificado de contagem, onde a terceira casa vigesimal não denotava múltiplos de 20x20, mas, sim, de 18x20, pois, assim, era possível uma contagem aproximada da duração em dois dias do ano solar, dado que 18x20=360.

Autores: Emeline, Fernando e Leonardo – 6º Ano

Texto produzido para a disciplina de Matemática, sob orientação da professora Simone Reis.


Comentários

Escreva o seu Comentário