Folha Cefet
Jornal Escolar do Cefet - Unidade Maria da Graça
Pesquisa

Você não precisa ser forte, acredite!
Por Andreza Nora (Professora), em 2019/09/24631 leram | 0 comentários | 27 gostam
Neste setembro amarelo que hoje finda, um alerta sobre ser uma "fortaleza".
Você não precisa ser forte. Acredite. Pode soar estranha essa afirmação em uma sociedade que quer nos convencer a todo tempo que precisamos ser fortes o tempo todo. Afinal, pessoas tidas como fortes teoricamente não se abatem, pouco adoecem, não externam suas insatisfações, são altamente produtivas, não “deixam a peteca cair” mesmo quando parece que o mundo está desabando sobre suas cabeças. Pessoas fortes são abstrações perfeitas para o sistema capitalista no qual estamos (sobre)vivendo.

“Pessoas fortes” são submetidas a intensas pressões no ambiente de trabalho ou no meio acadêmico e se “mantêm firmes”, pois foram educadas para pensar que superar as inúmeras dificuldades é um dos passos rumo ao tão sonhado “sucesso”. Essa ideia de que é preciso ser forte e de que todo esforço será recompensado estampa sites e mais sites nas redes. Você certamente já leu ou ouviu o seguinte provérbio japonês: “treine enquanto eles dormem, estude enquanto eles se divertem, persista enquanto eles descansam e então viva o que eles sonham”.

Se você já viu e até concordou, talvez valha a pena refletir um pouco mais. Uma sociedade que não possibilita igualdade de oportunidades naturaliza a ideia de que a “força” - ou o sofrimento calado travestido de força - deve ser o seu diferencial diante da enorme concorrência nesse mundo pós-moderno. E assim, certo de que a sua hora vai chegar, já que você se esforçou o bastante, você persiste e segue sendo "forte"(?!).

Você persiste, você segue "sendo forte", você chora escondido, você engole suas insatisfações cotidianas, você assume mil e uma responsabilidades, você se esgota física e emocionalmente, mas você não tem coragem de dizer que está cansado ou que precisa de ajuda. Você simplesmente suporta. Você precisa ser forte, você foi convencido disso. E quando te dizem “você é muito forte”, no seu íntimo isso soa como um belo elogio. Você acredita que é bom e necessário "ser forte" e o ciclo continua.

Ao seu lado, muitos amigos e familiares travam a mesma batalha: escondem suas dores mais profundas, silenciam as próprias dificuldades e temem pedir ajuda...

Não tenha medo, você não precisa ser forte, acredite.

Ps: se você acha que não tem ninguém por perto a quem possa pedir ajuda, ligue para o CVV- Centro de Valorização da Vida (188).

Andreza Nora
(Professora de LP/LB; Voluntária do CVV)


Comentários

Escreva o seu Comentário
 




Top Artigos: Amor de Mãe