Folha Cefet
Jornal Escolar do Cefet - Unidade Maria da Graça
Pesquisa

Videogames e violência na vida do adolescente
Por Yuri Gomes (Aluno, 4BMAUTINT), em 2018/03/20173 leram | 0 comentários | 31 gostam
A violência nos videogames vem sendo tida como um problema por muitos que tendem a achar que esse é o causador de adultos mais violentos, ou mesmo, violência dentro de escolas. Mas será que estas mídias causam mesmo esse problema? Veja neste artigo!
A indústria de videogames vem crescendo a cada dia, e o videogame está cada vez mais comum nas salas de muitas famílias. Com as novas tecnologias, encontramos cada vez mais jogos realistas que nos fazem questionar se aquilo é mesmo apenas uma realidade criada na computação e não um filme interativo. Mas não estamos aqui para discutir os gráficos realísticos dessa geração de videogames, e sim de um tema que tem tomado bastante repercussão ultimamente.
   Recentemente(08/03), houve uma reunião nos Estados Unidos, com o Presidente Donald Trump, políticos e representantes desta indústria para discutir a influência dos jogos violentos, negativamente, para os jovens.
   Nos EUA, já aconteceram e continuam acontecendo tragédias em escolas. A última e mais recente, ocorreu no estado da Flórida em que um jovem chamado Nikolas Cruz, atirou contra estudantes e professores com um fuzil, deixando inúmeros feridos e mortos. A medida tomada pelo presidente visa apontar um causador para estes acontecimentos, e como pudemos ver, os jogos eletrônicos foram desta vez os escolhidos.
   Não é de hoje que podemos acompanhar tal medida, como em outros acontecimentos semelhantes ocorridos no país, que tivemos este mesmo culpado, a chacina de columbine, que até hoje é tida como uma das maiores tragédias dos Estados Unidos, que teve o jogo DOOM, para a época, extremamente violento, recebendo também a culpa pelo acontecido.
   Não somente nos EUA há a impressão que jogos violentos incentivam a mentalidade agressiva do jovem. No Brasil, já tivemos inúmeras reportagens sobre jogos como incentivo à violência do jovem, mas também é nítido que nenhuma destas afirmações tem cunho cientifico. Trata-se somente do achismo de pessoas mais conservadoras com este assunto.
   Emissoras como Record e Ban causaram uma grande confusão com suas reportagens sobre este assunto no ano de 2013, com o lançamento do jogo GTA V, além de outras reportagens deste mesmo tema, como uma matéria do ano de 2014 do site R7 da record com o seguinte título: "Jogos violentos têm o mesmo efeito de uma dose de cocaína, diz especialista"
   Apesar de tudo isso, muitos estudos foram feitos em cima deste assunto, e é comum encontrá-los com resultados semelhantes, sem nenhuma relação entre jogos violentos e a violência dos jovens.
Podemos citar uma pesquisa publicada na British Medical Jornal de um estudo que teve duração de dez anos, e acompanhou crianças e a forma com que as mesmas são afetadas não só pelo videogame, mas também pelos outros meios de entretenimento, e os pesquisadores constataram que os videogames não exercem efeitos negativos sobre a criança.
   Um estudo da Universidade de São Paulo também avaliou este mesmo efeito dos jogos na vida de estudantes da própria universidade, e constataram o mesmo que a pesquisa citada anteriormente.

   É importante informar que o intuito deste texto não é dizer que os jovens não desenvolvem nenhum problema, pelo contrário, estes estudos constatam que os jovens acabam sim apresentando problemas relacionados a excesso, mas fora isso, nenhum problema cognitivo, alteração no humor, ou agressividade. Também é importante ter em mente que, pessoas agressivas tendem a preferir mídias agressivas, mas não é a mídia que faz o jovem ser agressivo.
E você? Oque acha do assunto? Comente.

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário