Fisgolas
Jornal da Becre do Agr - Mondim de Basto
Pesquisa

Formação: Aprender com a Biblioteca Escolar
Por Licínio Borges (Professor), em 2015/02/16150 leram | 0 comentários | 44 gostam
Formação a decorrer no Arco de Baúlhe de janeiro a Março, com o objetivo de orientar o trabalho das BECRES, para integrar no ensino dos diferentes conteúdos curriculares, os conhecimentos, capacidades e atitudes inerentes às diferentes literacias.
A sociedade atual passa por transformações com um grande impacto na forma como acedemos à informação e ao conhecimento, como aprendemos, comunicamos e nos integramos socialmente.
Estas transformações, relacionadas com a revolução tecnológica e digital, refletem se na escola, à qual se exige o desenvolvimento nos alunos de um conjunto de literacias essenciais à aprendizagem e ao sucesso educativo, que incluem não só as competências básicas de leitura, matemática ou ciências, como outras, de que são exemplo as competências da informação, digitais e dos média. A natureza destas literacias, presentes em todas as áreas e ambientes de aprendizagem, faz do seu desenvolvimento uma responsabilidade da escola e de todos os professores, sendo a biblioteca escolar um recurso privilegiado para o seu exercício.
Ao longo da última década, as bibliotecas escolares têm vindo a consolidar o seu papel na escola. Este percurso concretizou se através da melhoria das condições funcionais, do sucessivo enriquecimento dos recursos documentais e de informação e da afetação progressiva de recursos humanos qualificados para a sua gestão.
A este investimento material significativo, envolvendo diferentes parceiros, cor-respondeu, por parte das escolas, um movimento de apropriação e rentabilização das possibilidades de acesso e de trabalho que as bibliotecas escolares facultam.
Tratando se de um recurso que se revela fundamental face aos desafios da socie-dade atual, pelas condições de espaço e acolhimento, equidade no acesso à infor-mação e possibilidades de aprendizagem que potencia, é hoje impensável idealizar a escola sem biblioteca escolar.
Nas últimas décadas, com a introdução e desenvolvimento das TIC, as bibliote¬cas escolares viram a sua intervenção e papel reforçados. As tecnologias e a Internet vieram introduzir novas oportunidades de acesso à informação e redefinir as existen-tes, substituindo condições e modelos de uso e produção do conhecimento. Introduziram ainda novos desafios formativos e pedagógicos a que a escola tem que responder e que decorrem do alargamento das literacias inerentes à aprendizagem e à vida no contexto da Sociedade do Conhecimento.
A biblioteca escolar tem vindo, neste contexto, a contribuir para uma boa aprendizagem e domínio da leitura, qualquer que seja o seu suporte e para a promoção de estratégias e atividades de aproximação ao currículo, que em muito vêm facilitando a aquisição de conhecimentos e a formação global dos alunos nestas múltiplas literacias. Só o seu domínio permitirá uma aprendizagem contínua e o desenvolvimento de uma consciência crítica, fatores essenciais de sucesso num mundo em acelerada mudança.
À semelhança do que tem vindo a ser feito noutros países, também em Portu¬gal julgamos pertinente definir um referencial que estruture as aprendizagens a desen-volver pelos alunos em cada nível/ ciclo de ensino relacionadas com estas literacias, dotando as bibliotecas escolares de um conjunto de orientações definidoras da sua ação formativa e intervenção na relação transversal e articulada com o currículo.
A elaboração deste referencial surge da necessidade de orientar o trabalho das bibliotecas escolares, de modo a integrar no ensino dos diferentes conteúdos curricu-lares, bem como no desenvolvimento de outros projetos e atividades, os conhecimentos, capacidades e atitudes inerentes às diferentes literacias. Direciona se também à escola, para que esta possa perspetivar e rentabilizar oportunidades e possibilidades potenciadas pela biblioteca escolar, contribuindo para o incremento de práticas de reflexão sobre a gestão do currículo e a avaliação das aprendizagens e do percurso formativo dos alunos.
Enquanto instrumento de orientação dirigido à escola e às bibliotecas escolares, o referencial visa ser utilizado em iniciativas da biblioteca e em atividades de parceria, de caráter curricular ou extracurricular, devendo ser ajustado à realidade e condições de cada escola sempre que necessário.
Nota: da introdução do referencial


Comentários

Escreva o seu Comentário