Jovens em Ação
Jornal do Centro Educacional Machado de Assis
Pesquisa

Erros para não cometer na redação do Enem
Por Jovens Em Ação (Aluno, ProEMI), em 2016/05/11182 leram | 1 comentários | 42 gostam
Está chegando o Enem e já começa a bater aquele medinho da redação, não é?
Olá estudantes! Está chegando o Enem e já começa a bater aquele medinho da redação, não é? Muito se fala sobre como se deve escrever um texto, como fazer isso e aquilo mas e o que não se deve fazer? O que deve ser evitado numa boa redação? São essas dicas que o Universia Brasil separou.

O medo de cometer erros na redação do Enem atrapalha muitos estudantes enquanto eles redigem seus textos, afinal a falta de confiança e certeza se estão escrevendo corretamente são grandes empecilhos.

Para tentar amenizar essa angústia, professora de redação Andrea Lanzara do Cursinho da Poli, de São Paulo, fala sobre os erros mais graves que os alunos podem cometer nessa etapa da prova.



Veja só essas dicas:

1 – Fugir do tema

“Um erro bastante grave é fugir do tema proposto”, aponta professora. Muitas vezes, isso ocorre porque o aluno não fez uma leitura atenta da proposta e dos textos complementares, ambos de extrema importância para que o estudante tenha um bom desempenho nessa parte da prova. “Toda redação em vestibular deve ser desenvolvida a partir de um recorte temático e quem faz esse recorte é a proposta de redação”, explicou a professora. Por isso, anote as principais ideias dos textos e, ao final, releia seu texto e confira se ele realmente fala sobre o tema em pauta.

2 – Copiar trechos dos textos motivadores

É comum, quando não se tem conhecimento prévio do tema da redação, copiar trechos dos textos motivadores para incrementar sua redação. Mas, esse é considerado um erro grave, mesmo se o aluno utilizar só uma citação. “Se o aluno copiar, sua redação não será desclassificada, mas ele vai ter parte do texto completamente desconsiderada”, justificou a professora. Por isso, de maneira nenhuma, copie frases quanto mais parágrafos destes textos.

3 – Escrever fora das normas do texto dissertativo-argumentativo

“Tem muita gente que desenvolve narração, escreve poema”, exemplifica a professora Andrea. Tradicionalmente, o Enem propõe que o estudante escreva um texto dissertativo-argumentativo, por isso foque seus estudos nisso. E também não é recomendável inserir técnicas de outros tipos textuais, como aliteração, na sua redação. “O aluno tem que saber que ali ele só tem espaço para desenvolver estrutura do tipo dissertativo-argumentativo.”

4 – Desrespeitar os direitos humanos

Os temas propostos pelo Enem geralmente versam sobre problemas de relevância nacional e, por isso, é cobrado do aluno uma solução. No entanto, essa sugestão deve respeitar os direitos de todos, independentemente de raça, credo, gênero, idade, cultura, etc. Por isso, é inaceitável expressar qualquer discurso que fira os direitos humanos. O mesmo vale para argumentos de cunho racista, por exemplo. Andrea Lanzara alerta: “se o aluno desrespeitar os direitos humanos, a redação será anulada.”

5 – Argumentar em um único parágrafo

“A argumentação não pode ser desenvolvida em um único parágrafo. Cada argumento, cada informação deve ser desenvolvida em parágrafos diferentes”, afirma a professora. “Então, se o aluno tem três argumentos para trabalhar, ele vai abrir três parágrafos no desenvolvimento”, exemplificou. Portanto, para evitar esse erro, organize suas ideias no plano de texto já pensando quais informações pertencem a qual parágrafo.

6 – Não seguir a norma culta da língua portuguesa

Segundo Andrea Lanzara, o texto dissertativo requer o uso da norma culta. Por isso, “o aluno não pode misturar termos de oralidade, como “tipo assim”, além de outras gírias e abreviações”, esclareceu a professora. Ou seja, escrever na gramática correta e sem expressões de fala, principalmente, são essenciais.

7 – Usar o senso comum

Clichês e ideias muito batidas não são bem aceitos na sua redação, afinal o examinador quer observar a sua análise pessoal do tema e não ver reproduzido no seu texto o que ele escuta cotidianamente. Para a professora, “tem que fugir mesmo da utilização do senso comum.” Mas, lembre-se: ser original não significa fazer uma análise sem sentido da situação. É simplesmente refletir por si só sobre a questão.

Parece difícil, mas é só seguir essas dicas com calma e atenção, que você vai que é muito mais fácil do que parece.

Boa redação!
Crédito: http://canaldoensino.com.br/blog/erros-para-nao-cometer-na-redacao-do-enem


Comentários
Por Esther Palka (Aluna, 3 B), em 2017/07/03
essas dicas são otimas para a redação

Escreva o seu Comentário