A Semente
Jornal do Agrupamento de Escolas Dr Flávio Gonçalv
Pesquisa

A LÍNGUA FRANCESA NA UNIÃO EUROPEIA
Por Dulce Marques (Professora), em 2019/05/2331 leram | 0 comentários | 2 gostam
No passado dia 9 de maio, comemorou-se, na nossa escola, o Dia da Europa, associando-se a esta data uma atividade relacionada com a língua francesa na União Europeia.
Neste dia, tivemos a presença de uma jovem pasteleira, com a categoria profissional de nível 5, Manuela Barreirinho, de Navais, que, a convite do grupo disciplinar de Francês, proporcionou a toda à comunidade escolar uma demonstração da confeção de éclaires.
Foi efetuada, também, a venda de éclaires, tartes de maçã, e a turma E, do oitavo ano, pôs em prática a sua sabedoria e perícia em «fazer as delícias» da escola com os seus crepes «à la française»!
Como alunas e repórteres de serviço, quisemos entrevistar a nossa convidada.
Eis aqui, a «nossa conversa» com Manuela Barreirinho:
 «- Como surgiu este seu desejo em se tornar pasteleira profissional?
- Não foi esta a minha primeira opção profissional. No final do meu 12º ano, entrei em Enfermagem, no Porto, mas vi logo que não era isso que eu queria.
- Mas, deve ter sido difícil tomar essa decisão… abandonar um curso superior?
- Não foi fácil de todo, é sempre difícil explicar aos pais que se quer desistir… sobretudo de um curso superior. Senti muita pressão, como explicar que não era isso que eu queria…? A pressão em casa era enorme… sobretudo do meu pai. Ainda pensei mudar para Economia…mas…
- Mas o que faz agora, é o seu sonho realizado?
- Sim, era uma coisa que me ficou sempre na cabeça. Acabei por realizar este sonho. Entrei na Escola de Hotelaria e Turismo do Douro, em Lamego, fiz um estágio de dois anos, em Gestão de Hotelaria, participei em concursos…
- Tem algum segredo que a faça estar «tão bem com a vida»?
- Bem, faço aquilo de que gosto, e isto é que é importante. A felicidade vem por fazermos aquilo de que nós gostamos…
Atualmente, a pastelaria funciona como um hobby, tenho clientes que me fazem encomendas, as pessoas vão falando…e vão aparecendo cada vez mais! Quem experimenta, fica cliente, é bom, não é (risos)?
No final desta nossa conversa, Manuela Barreirinho deixou-nos a receita do éclaires (só para nós !) e quis deixar o seu agradecimento pela simpatia com que foi recebida na nossa escola, pois sentiu-se como « uma estrela» !




 Beatriz Lázaro e Inês Mateus (7º G)
                             

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário