A Semente
Jornal do Agrupamento de Escolas Dr Flávio Gonçalv
Pesquisa

ERASMUS – DIA 4
Por Dulce Marques (Professora), em 2017/11/17300 leram | 0 comentários | 142 gostam
Ontem, quinta-feira, o grupo Erasmus passou o dia na cidade do Porto.
Pela manhã, partimos em direção à Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde os alunos tiveram a possibilidade de se inteirar sobre os programas de intercâmbio possibilitados por esta Instituição, entre os quais o Programa Erasmus, em que a maior percentagem de estudantes são de proveniência europeia, nomeadamente italianos e franceses.
Depois, e sendo o tema deste projeto “Maps for Building and Understanding Europe, seguiu-se uma preleção pelo geógrafo e cartógrafo Professor Miguel Nogueira, subordinado ao tema “The fascinating world of maps and mapmaking”. O Professor fez um breve historial da evolução no processo de elaboração de um mapa, desde os primitivos mapas da época das descobertas aos mapas digitais da atualidade. Explicou quais os fundamentos da elaboração de um mapa, e referiu os elementos principais que devem constar na legendagem de um mapa, tais como a identificação do lugar, a escala, e a explicação dos símbolos. Demonstrou como se elabora hoje em dia um mapa, com as novas tecnologias, alertando para o perigo de ser possível, tendo o programa adequado, fabricar mapas falsos. No final, o Professor respondeu a algumas questões.
O almoço foi na cantina da Faculdade.
De tarde, visitou-se o Palácio da Bolsa. A guia referiu alguns aspetos relativos à construção deste edifício, as funções a que se destinava, e a que finalidade se destina presentemente. Guiou o grupo por várias salas, abordando alguns aspetos arquitetónicos e artísticos (mobiliário, decoração, pinturas existentes), e, para terminar, o grupo visitou o Salão Árabe, ex-libris do edifício, que impressionou os presentes.
As delegações seguiram para a Igreja de S. Francisco, onde visitaram, primeiramente, as catacumbas, e de seguida o interior da igreja, que, segundo a informação dada, funciona atualmente como museu.
O grupo caminhou depois pela Ribeira, onde houve tempo para ouvir um músico de rua, dirigiu-se à Rua das Flores e entrou na Estação de S. Bento, para admirar os painéis de azulejos.
E era tempo de regressar, ao fim de mais um dia de intensa atividade.

Mais Imagens:

Comentários

Escreva o seu Comentário