AltaMente
Jornal do Agrupamento de Escolas Dr. Alberto Iria
Pesquisa

Apreciação crítica
Por Rosália Mimoso Boneco (Administrador do Jornal), em 2016/05/3156 leram | 0 comentários | 8 gostam
Luís Sepúlveda - mundo do fim do mundo
Escolhi o livro “mundo do fim do mundo” de Luís Sepúlveda porque já li outras obras deste autor de quem gostei, tais como: “História de um gato e de um rato que se tornaram amigos” e “História de uma gaivota e de um gato que a ensinou a voar”.
No entanto, não apreciei esta narrativa e fiquei um pouco dececionado. Por um lado, o vocabulário que desconhecia é imenso e muito difícil por ser bastante técnico. Por outro, a história é entediante, pois tem, na minha opinião, demasiadas descrições de pormenores marítimos e da crueldade que é feita a várias espécies marinhas em vias de extinção.
  O livro retrata a vida de Ismael, um jovem adolescente, que aproveita as férias de verão para uma aventura marítima com base na rota descrita no livro “Moby Dick”. Anos mais tarde, regressa aos mares do Chile Austral como jornalista, ativista e ecologista com a ajuda da Greenpeace e do capitão Nilssen, para ficar a conhecer um dos maiores atentados às espécies marinhas, levados a cabo por um barco-fábrica japonês que aspira o mar, matando desde golfinhos a pequenas baleias para depois devolver ao mar os restos mortais.
Porém, este livro não deixou de me despertar algum interesse, nomeadamente por conhecer esta parte do mundo e a diversidade de espécies que lá habitam. Também me impressionou pela luta dos ativistas para impedirem o extermínio de animais em perigo de extinção. Quanto ao título que considerei sugestivo e cativante está adequado à história, uma vez que aqueles mares são um mundo que fica no fim do mundo, na Antártida.
Em conclusão, para quem gosta de ler acerca de lugares longínquos do planeta que desconhecem e sobre a defesa de animais e apreciem termos de navegação e marítimos, este é um livro que poderá ler.

                                                  José Ameixa, nº 14, 7º D


Comentários

Escreva o seu Comentário